<<Anterior
· Índice ·Siguiente>>

Apresentação

Apresentação
        

Créditos

¿Qué es la OEI?

O que é a OEI?

Presentación

Apresentação?

Introducción

La Programación en
el periodo 1999 2000

Programas de cooperación

     Educación

     Ciencia

     Cultura

Observatorio de la Educación Iberoamericana

Iniciativas de Integración Iberoamericana

Otros proyectos y actividades

La OEI y los Programas "Cumbre"

Publicaciones, formación a distancia y recursos en red

Memória de Programação 1999- 2002 mostra o resultado de quatro anos de intenso trabalho destinados centralmente a melhorar a qualidade de nossa ação de cooperação. Quadriênio este no qual tivemos a oportunidade de comemorar um fato particularmente importante: o 50º Aniversário de criação da OEI.

A cooperação internacional, nestas cinco décadas, experimentou profundas transformações, tanto do ponto de vista conceitual como em suas estratégias e modalidades de intervenção. Ainda que pareça um lugar comum, é preciso reafirmar que cooperar é trabalhar juntos.

Esta idéia cobra especial vigência no caso da cooperação iberoamericana, que se sustenta na capacidade de gerar e potenciar o diálogo de culturas. A matriz cultural iberoamericana é, a meu ver, a grande força dinâmica que permite pensar numa unidade regional que combina, alenta e fomenta sua rica e singular diversidade.

A Programação quadrienal da OEI tem tratado de ser coerente com este princípio básico de cooperação horizontal que, por um lado, implica incrementar a capacidade de interlocução com os países iberoamericanos e, por outro, referese à progressiva construção de um espaço de relações e de transferência de conhecimentos mais simétricos. Entre os principais desafios, aos quais tentamos fazer frente neste período, talvez o mais destacado tenha sido o de alcançar uma maior aproximação das sociedades e dos governos aos quais devemos responder. Para isto, foram adequadas as estruturas internas, mediante procedimentos e mecanismos mais ágeis, apropriados e eficazes para a tomada de decisões e sua execução. Este processo tem tido lugar com uma participação crescente de um conjunto de atores vinculados ao desenho de nossa ação de cooperação.

Assistimos também a um importante lançamento temático que se viu acompanhado, em todo momento, pela busca de equilíbrio entre uma demanda crescente e a elaboração de uma oferta de cooperação sólida, através de enfoques rigorosos e solventes. Promoveuse que as opções selecionadas fossem pertinentes à resolução de problemas significativos para os sistemas educativos, científico-tecnológicos e culturais.

A cooperação iberoamericana não é um fenômeno novo, mas é justo destacar que conheceu um impulso decisivo desde a década passada a partir da criação das Cúpulas Iberoamericanas, foro político para a cooperação regional ao calor do qual se gerou um importante tramado social de colaboração entre instâncias e redes de diversos tipos, que atuam de forma mancomunada em diferentes projetos e ações de cooperação.

Este é o espaço natural de referência e expansão programática da OEI, a partir do reconhecimento do forte laço comum que implica formar parte de uma mesma comunidade, baseada em sua diversidade criativa. Apreciamos com suma satisfação que o mapa iberoamericano da OEI se tenha completado durante este período com a incorporação à Organização, como membros de pleno dereito, de Portugal e Brasil. Celebramos este fato porque implica garantir a contribuição de uma tradição cultural essencial para a Ibero-América e permite uma melhor e mais ampla planificação e execução de ações de cooperação.

No quadriênio 1999-2002, também assistimos ao fortalecimento de duas das áreas de trabalho que estatutariamente nos competem. Ainda que a cooperação em matéria educativa segue sendo um eixo de atenção de absoluta prioridade, neste período cobrou uma notável presença, tal como se ressalta no presente documento, a cooperação científica, tecnológica e cultural.

Também quero destacar um componente menos visível da Programação, mas nem por isso menos importante, já que está na base de uma ação de cooperação mais sólida e concertada. Refirome ao esforço realizado por estabelecer alianças e acor-dos de trabalho com diversos organismos internacionais e outras instâncias -acadêmicas, não governamentais, etc.- que convergem na tarefa que nos compete.

As páginas que seguem constituem uma sumária olhada a este recente passado, mas, sobretudo, uma aposta esperançosa de futuro. Agradeço muito sinceramente o apoio de todos aqueles -ministérios, organismos públicos especializados, universidades e institutos de investigação, expertos e consultores, etc.- que contribuem conosco neste louvável empenho de transformar, ainda que seja modestamente, a realidade da IberoAmérica. Vai também meu reconhecimento ao labor dos diretores, técnicos, gestores e administrativos da OEI, que fazem possível, com seu trabalho cotidiano, que o desenvolvimento da Programação seja cada vez mais funcional e próximo dos países iberoamericanos. Esta é nossa finalidade e o sentido de nossa tarefa.

Francisco Piñón
Secretário Geral

<<Anterior · Índice ·Siguiente>>

Subir

Principal OEI · Contactar