Inicio | Acerca de la OEI | Cooperación | Formación | Publicaciones | Contactar  

Presentación

Noticias de los IDIE

Institutos

Brasil
Chile - Formación docente
Colombia - Formación docente
Colombia - Primera Infancia
Ecuador
El Salvador
Guatemala - Educación inicial y derechos de la infancia
Guatemala - Educación bilingüe y multicultural
Honduras
México
Panama
Paraguay
Perú
Rep. Dominicana
Uruguay

IDIE Brasil

Patrocinado por Gobierno de AragónInstituto para el Desarrollo y la Innovación Educativa especializado en Tecnologías de la Información y de la Comunicación (TICs) en Brasil.

Plano de ação 2008-2009

O Plano de Ação do IDIE foi construído a partir dos desafios e metas para a integração das tecnologias na educação expressos nos planos nacionais da cada país, nos documentos de constituição da Rede Relpe, no Plano eLAC 2010 e pelos aspectos apontados pela Comissão de Especialistas em TICs da OEI, formada por renomados especialistas de onze países membros da OEI.

Políticas públicas de uso de informática nas escolas incluem necessariamente aspectos de infra-estrutura, formação docente, softwares educativos e de gestão e, finalmente, sistemas e indicadores de avaliação das políticas implantadas.

A possibilidade de intercâmbio e colaboração entre os países é fator relevante para que cada região enfrente a brecha digital e consiga oferecer às futuras gerações condições de atuar de forma efetiva na sociedade da informação. Nesse contexto, as estratégias e o Plano de Ação do IDIE especializado em TICs foram definidos com a perspectiva de favorecer a cooperação e projetos conjuntos entre os países, cumprindo sua missão de subsidiar políticas públicas a partir de uma perspectiva iberoamericana e integrando-se às demais iniciativas existentes em cada região.

As ações do IDIE TICs na educação, no ano de 2008, estão relacionadas à avaliação de políticas públicas de integração das tecnologias no contexto escolar e ao desenvolvimento e disponibilização de conteúdos educativos, nessa ordem de prioridade.

O IDIE investirá fortemente em estudos e proposições de seguimento de políticas públicas, não com o intuito isolado de medir e comparar, mas, principalmente, com o objetivo de propor parâmetros para a integração das TICs na educação. O propósito do instituto é o de construir parâmetros e indicadores que ajudem gestores e escolas a formular políticas e planos pedagógicos de uso das TICs comprometidos com a formação de um quadro docente investigador e engajado no desenvolvimento humano de seus alunos, com as aprendizagens para o século XXI, com o permanente desenvolvimento de processos de valorização do aluno e de sua aprendizagem e, sobretudo, que promovam o rompimento do isolamento cultural de professores e alunos por meio de amplo acesso à cultura sistematizada, ao intercâmbio cultural e à produção de bens culturais no contexto contemporâneo.

A partir desses pressupostos, o IDIE estabeleceu um plano de ação cujas metas estão integradas aos esforços internacionais para medir resultados e adequar programas de implementação das TICs nas escolas. Foram definidas as seguintes metas para o biênio de 2008 e 2009:

META nº 1.

Integrar as ações de cooperação internacional de construção de indicadores para subsidiar o acompanhamento e a avaliação de políticas públicas.

No que tange à META nº 1, o IDIE integrou-se especificamente ao grupo de indicadores coordenado por CEPAL e RELPE com o objetivo de criar indicadores comuns aos países para acompanhar os avanços do eLAC 2010. O Instituto também apoiou os trabalhos da Ricyt no processo do Manual de Lisboa, financiando um estudo específico que resultará na proposição de cinco indicadores sobre TICs e educação a serem incorporados ao manual após sua apresentação e validação em encontro a ser realizado no segundo semestre de 2008.

Ainda na perspectiva da META nº 1, o IDIE apóia três ações referentes a conteúdos educativos na Internet, estes são:

Ação 1 - Com a RELPE, o IDIE desenvolverá um estudo de conteúdos que visa o levantamento e a classificação dos conteúdos dos 19 países que compõem a rede e que estão disponíveis na sua ferramenta de gestão de conteúdos. Com isso, o instituto auxilia diretamente o acompanhamento das metas de disponibilização de conteúdos acordadas entre esses países.
Ação 2 - Além do mais, o IDIE auxiliará as equipes técnicas dos portais a homogeneizar suas metodologias de medição de acesso, de modo a possibilitar a análise comum entre todos os eles.
Ação 3- Finalmente, com o MEC do Brasil , o instituto colabora com o projeto do repositório de conteúdos com o compromisso de auxiliar na localização de instituições e sites na Internet que possuam conteúdos de caráter educativo de qualidade, dentro dos critérios estabelecidos pelo ministério, especialmente os objetos complexos, e que possam ceder tais conteúdos para o repositório do MEC. O repositório possui alcance nacional e regional, uma vez que seus conteúdos serão disponibilizados em diversas línguas e poderão ser acessados por qualquer país interessado.

As informações obtidas pelo conjunto destas três ações realizadas por MEC, IDIE e RELPE, permitirão traçar, em médio prazo e de modo bastante abrangente, um mapa da oferta e da demanda de conteúdos educativos digitais para a região.

META nº 2.
Criar um documento base de avaliação de uso de TICs na educação para toda a região, com pressupostos, dimensões e indicadores qualitativos relacionados à aprendizagem e à prática docente, assim como indicações metodológicas e operacionais compatíveis com cada país.

No que diz respeito à sua META nº 2, o IDIE é o promotor de um estudo sobre indicadores de uso de TICs na educação em uma perspectiva qualitativa e de aprendizagens, em âmbito iberoamericano. Após ser submetido a oficinas de consultas e debates e a um foro com a participação de especialistas e instituições de diversos países, este estudo resultará no documento "Indicadores Qualitativos da Integração das TICs na Educação na Perspectiva da Aprendizagem no Contexto Ibero-Americano". Tal documento abordará pressupostos avaliativos, dimensões da avaliação e indicadores de uso de TICs nas escolas com possibilidade de utilização por qualquer país, respeitando-se suas particularidades. O sucesso desta ação dependerá, em grande parte, da articulação e do envolvimento de um grupo amplo e heterogêneo de atores educacionais em seu desenvolvimento.

META nº 3.
Envolver (sensibilizar, formar e escutar) diretores, professores e alunos no debate sobre a integração das TICs na educação, visando integrar em um mesmo debate gestores de políticas e a escola.

Finalmente, no ano de 2009, o IDIE terá condições de iniciar ações para sua META nº 3, a de levar o debate de políticas públicas à escola, possibilitando que o professor reflita e desenvolva práticas de ensino que dialoguem com as questões engendradas nas esferas de governo, podendo desenvolver uma prática docente crítica e consciente em relação às políticas públicas adotadas pelos sistemas de ensino a que pertencem, em cada país. A estratégia prevista será de realização de auto-avaliações formativas de professores e escolas que possuem projetos de uso de TICs e queiram avaliá-los a partir de reflexões possibilitadas pelo uso dos indicadores e parâmetros propostos pelo IDIE e seus parceiros no documento construído ao longo do ano de 2008.

O Plano de Ação de 2008 priorizou a realização de estudos e pesquisas com vistas à produção de conhecimentos para o subsídio de políticas na área, sempre trabalhando em caráter colaborativo e em redes. Para cumprir a finalidade de disseminação dos resultados de tais estudos, o IDIE desenvolverá um site e publicações, dois tipos de produtos de comunicação cujo público prioritário é formado por gestores de redes de ensino que necessitam de mais familiaridade com a temática cada vez mais premente do uso de TICs em suas escolas. Além da função de divulgação institucional, o site terá forte caráter de prestação de serviços por meio da organização de informações úteis referentes à temática. As publicações destinam-se a tornar públicos os resultados dos estudos desenvolvidos pelo IDIE e por seus parceiros e poderão ser em papel ou digital, com caráter de relatórios, cadernos ou informes.

IDIE TICs na educação