Principal OEI | Formación | Cultura Científica | Ciencia | Revista CTS | Observatorio | Boletín | RSS
Loading

Introdução aos Estudos CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade)

Descargar libro

 

Autores: Walter A. Bazzo (ed.), Eduardo Marino García Palacios, Juan Carlos González Galbarte, Irlan von Linsingen (ed.), José Antonio López Cerezo, José Luis Luján, Mariano Martín Gordillo, Carlos Osorio, Luiz Teixeira do Vale Pereira (ed.), Célida Valdés.
Edita: Organização dos Estados Ibero-americanos
para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI)
Número de páginas: 172
Encuadernação: brochura
Tamanho: 16,5 x 24 cm
Data de edição: 2003
Edição número: 1
ISBN: 84-7666-157-6

Resumo

Os estudos sobre Ciência, Tecnologia e Sociedade (habitualmente identificados pelo acrônimo CTS) apresentam-se como uma análise crítica e interdisciplinar da Ciência e da Tecnologia num contexto social, com o objetivo de compreender os aspectos gerais do fenômeno científico-tecnológico.

Hoje, as questões relativas à Ciência e à Tecnologia e suas importâncias na definição das condições da vida humana, extrapolam o âmbito acadêmico para se converterem em centros de atenção e de interesse do conjunto da sociedade.

Ciência, Tecnologia e Sociedade configuram uma tríade mais complexa que uma simples série sucessiva, e sua combinação obriga a analisar suas relações recíprocas com mais atenção do que implicaria a ingênua aplicação da clássica relação linear entre elas.

Os capítulos deste livro pretendem uma elucidação que permita a aproximação crítica e plural das relações entre esses três conceitos. Optou-se por fazer um tratamento substantivo de cada um deles, tentando responder sucessivamente à pergunta por sua definição nos três primeiros capítulos (o que é a Ciência?, o que é a Tecnologia?, o que é a Sociedade?). De algum modo, em tais capítulos realizam-se análises separadas dos fios que vão tecendo a estrutura das relações CTS, que serão abordadas diretamente no quarto (o que é Ciência, Tecnologia e Sociedade?). Nele estabelecem-se questões relativas à interação entre esses conceitos suscitados nos anteriores, ao mesmo tempo em que se oferece um panorama geral sobre o significado e sobre os temas próprios da chamada perspectiva CTS.

Índice

PREFÁCIO

APRESENTAÇÃO

1. O QUE É A CIÊNCIA?

1.1 Introdução
1.2 Concepção herdada da ciência
1.3 A dinâmica da ciência
1.4 Novos enfoques sobre a ciência: transciência e ciência reguladora
1.5 Conclusão
1.6 Bibliografia

2. O QUE É A TECNOLOGIA?

2.1 Introdução
2.2 Técnica e natureza humana
2.3 O significado da tecnologia
2.4 Demarcações sobre a tecnologia
2.5 Filosofia da tecnologia
2.6 Avaliação de tecnologias
2.7 Apontamentos sobre o movimento ludita
2.8 Conclusão
2.9 Bibliografia

3. O QUE É A SOCIEDADE?

3.1 Introdução
3.2 Aproximação ao conceito de sociedade
3.3 Sociedades e desenvolvimento tecnocientífico: tipologias
3.4 A mudança social: algumas interpretações
3.5 A articulação democrática do social como condição para a participação ativa nas decisões tecnocientíficas
3.6 Conclusão
3.7 Bibliografia

4. O QUE É CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE?

4.1 Introdução
4.2 A imagem tradicional da ciência e da tecnologia
4.3 Os estudos CTS
4.4 Ciência, tecnologia e reflexão ética
4.5 A educação em CTS
4.6 Conclusão
4.7 Bibliografia

GLOSSÁRIO

BIBLIOGRAFIA EM PORTUGUÊS

Fragmento

Apresentação

Poucos conceitos evocam com tanta clareza as incertezas da condição humana nesta mudança de milênio quanto os de ciência, tecnologia e sociedade. A produção de conhecimentos teve nas últimas décadas uma aceleração de tal magnitude que, para caracterizar a ciência, é menos significativa sua longa trajetória de séculos que o lugar privilegiado que ocupa no presente e as incertezas que suscita ao se pensar no futuro. Por sua vez, a tecnologia tem sido sempre elemento definidor do ser humano, inclusive muito mais que o próprio conhecimento científico, ao identificar-se o surgimento do técnico com a própria origem do humano. No entanto, nesta mudança de século, a prevalência da tecnologia na definição das condições da vida humana parece ter alcançado a essência ilimitada que Ortega y Gasset prognosticava em sua célebre Meditação da técnica. Desta forma, o próprio conceito de sociedade só pode ser adequadamente definido quando se o contextualiza no marco das mudanças tecnocientíficas do presente. Fenômenos como globalização, nova economia, sociedade de risco e a própria relação da humanidade com o entorno natural só se entendem quando forem postos em relação com as atuais condições do processo tecnocientífico e com os marcos de poderes, interesses e valores em que se desenvolvem.

Por isso os estudos sobre ciência, tecnologia e sociedade - habitualmente identificados pelo acrônimo CTS -, não são só relevantes desde os âmbitos acadêmicos em que tradicionalmente se desenvolveram as investigações históricas ou filosóficas sobre a ciência e a tecnologia. Ao colocar o processo tecnocientífico no contexto social e defender a necessidade da participação democrática na orientação do seu desenvolvimento, os estudos CTS adquirem uma relevância pública de primeira magnitude. Hoje, as questões relativas à ciência e à tecnologia e sua importância na definição das condições da vida humana extravasam o âmbito acadêmico para converter-se em centro de atenção e interesse do conjunto da sociedade.

Notícias espetaculares relacionadas com as biotecnologias ou as tecnologias da comunicação suscitam o interesse público e abrem debates sociais que ultrapassam a compreensão tradicional acerca das relações entre ciência, tecnologia e sociedade. Antes a ciência era considerada como o modo de desentranhar os aspectos essenciais da realidade, de desvelar as leis que a governam em cada parcela do mundo natural ou do mundo social. Com o conhecimento dessas leis seria possível a transformação da realidade com o concurso dos procedimentos das tecnologias, que não seriam outra coisa senão ciências aplicadas à produção de artefatos. Nessa consideração clássica, a ciência e a tecnologia estariam afastadas de interesses, opiniões ou valores sociais, deixando seus resultados a serviço da sociedade para que esta decidisse o que fazer com eles. Salvo interferências alheias, a ciência e a tecnologia promoveriam, portanto, o bem-estar social ao desenvolver os instrumentos cognoscitivos e práticos para propiciar uma vida humana sempre melhor. Não obstante, hoje sabemos que esta consideração linear acerca das relações entre ciência, tecnologia e sociedade é excessivamente ingênua. As fronteiras precisas entre estes três conceitos se dissipam à medida que elas são analisadas com detalhes e contextualizadas no presente.

Ciência, tecnologia e sociedade configuram uma tríade conceitual mais complexa do que uma simples série sucessiva. Em primeiro lugar, o rompimento entre conhecimentos científicos e artefatos tecnológicos não é muito adequado, já que na própria configuração daqueles é necessário contar com estes. O conhecimento científico da realidade e sua transformação tecnológica não são processos independentes e sucessivos, senão que se encontram entrelaçados em uma trama em que constantemente se juntam teorias e dados empíricos com procedimentos técnicos e artefatos. Entretanto, por outro lado, o tecido tecnocientífico não existe à margem do próprio contexto social em que os conhecimentos e os artefatos resultam relevantes e adquirem valor. A trama tecnocientífica se desenvolve prendendo-se na urdidura de uma sociedade em que ciência e tecnologia desempenham um papel decisivo em sua própria configuração. Portanto, o entrelaçamento entre ciência, tecnologia e sociedade obriga a analisar suas relações recíprocas com mais atenção do que implicaria a ingênua aplicação da clássica relação linear entre elas.

Os capítulos deste livro pretendem elucidar os conceitos que permitem uma aproximação crítica e plural das relações entre estes três conceitos. Optou-se por fazer um tratamento substantivo de cada um deles, tentando responder sucessivamente às perguntas formuladas nos três primeiros capítulos (O que é a ciência?, O que é a tecnologia?, O que é sociedade?). Apesar de se ter optado por manter uma apresentação separada e numa ordem clássica de cada um destes três conceitos, ao longo dos capítulos correspondentes vão-se colocando suas relações recíprocas. De algum modo, em cada um dos três primeiros capítulos são realizadas análises separadas dos fios que vão tecendo as entrelaçadas relações CTS, que serão abordadas diretamente no quarto capítulo (O que é ciência, tecnologia e sociedade?). Nele se desenham estas questões relativas à interação entre estes três conceitos que foram sendo suscitados nos anteriores, até o ponto em que se oferece um panorama geral sobre o significado e os temas próprios das chamadas perspectivas CTS.

Nas páginas que se seguem pretende-se abordar uma visão geral sobre o estado da questão em relação com os três conceitos que dão o título a esta obra. No entanto, o tratamento de cada um de tais conceitos não pretende reduzir-se a uma introdução filosófica ou histórica da ciência ou da tecnologia ou aos tópicos da sociologia. O critério de seleção dos temas tratados em cada um dos três primeiros capítulos é o da sua relevância para uma adequada compreensão das relações recíprocas entre estes três conceitos. São, portanto, três abordagens sucessivas acerca da ciência, da tecnologia e da sociedade desde a perspectiva dos próprios estudos CTS, adotando o enfoque crítico e interdisciplinar. Entre os aspectos mais relevantes que aparecem reiteradamente nos quatro capítulos está a dimensão educativa das questões tecnocientíficas. A importância de uma alfabetização tecnocientífica como condição necessária para tornar possível a participação pública nestes temas aparece em diversos lugares. De certo modo, a educação para a cidadania seria o suporte imprescindível para tornar possível a democratização das decisões socialmente relevantes em relação ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia.

Esta relevância da dimensão educativa está presente também na própria organização de cada capítulo, onde se combinam o desenvolvimento do texto principal com outros que ampliam as possibilidades de estudos, ao se introduzir uma seleção de leituras complementares. Também se inclui ao final do livro um breve glossário. Pretende-se, assim, ampliar a utilidade deste texto para os diversos públicos que possam ter interesse nestes temas e, mais especificamente, para o professorado que possa e queira participar nos processos de alfabetização tecnocientífica visando à cidadania, à capacitação para uma participação democrática nas questões de desenvolvimento e de controle público da ciência e tecnologia. Com esta finalidade, a OEI tem empreendido a preparação de diversos materiais de fundamentação teórica e desenvolvimento didático para a educação em CTS. Tais materiais formam parte de um curso virtual sobre CTS para cuja documentação será também utilizada esta publicação.

Promover a cooperação ibero-americana no âmbito da educação CTS é um propósito próprio da programação de atividades da OEI, dentro da qual se insere este livro. O desejo de contribuir de algum modo para tal propósito é o que tem animado seus autores, desejo que esperam compartilhar com os leitores.

 

PDF do livro

 

 

Sala de Lectura Ciencia, Tecnología, Sociedad e Innovación

Inicio

Novedades

Ciencia y Universidad para el Desarrollo Sostenible OEI
11
13

La Relevancia de la Sociolog铆a en el Ense帽o de los Derechos Humanos por Jacob (J.) Lumier

La obra que se presenta es la continuaci贸n del esfuerzo del autor para realizar, desde 2014, la integraci贸n de sus trabajos en la comprensi贸n de la mentalidad de los derechos humanos, como mentalidad internacionalista o, precisamente, sin fronteras, cuya serie presenta los siguientes t铆tulos ya publicados: Sociologia y Derechos Humanos: Introducci贸n; El sociol贸gico y el jur铆dico en el ense帽o de los derechos humanos; O Diferencial da Liberdade de Express茫o; El Caracter Social Hist贸rico de los Derechos Humanos.

- Sala de Lectura Ciencia y Universidad
10
25

Revista Iberoamericana Ciencia, Tecnolog铆a y Sociedad. Vol. 13 - N掳 39

Ya se puede descargar la versi贸n definitiva de nuestro n煤mero 39. En esta ocasi贸n presentamos un conjunto de art铆culos firmados por investigadores argentinos, chilenos y cubanos

- Sala de Lectura Ciencia y Universidad
10
24

El Estado de la Ciencia - Principales Indicadores de Ciencia y Tecnolog铆a - Iberoamericanos / Interamericanos 2018

Ya se puede descargar la edici贸n 2018 de El Estado de la Ciencia - Principales Indicadores de Ciencia y Tecnolog铆a - Iberoamericanos / Interamericanos. Esta publicaci贸n el resultado del esfuerzo conjunto de los pa铆ses participantes de la Red Iberoamericana de Indicadores de Ciencia y Tecnolog铆a (RICYT), que aportan la informaci贸n estad铆stica incluida en este volumen, y de una activa comunidad de expertos en indicadores, acompa帽ados por distintos organismos internacionales que dan respaldo a la red. Este a帽o la Red suma el apoyode la Oficina Regional de Ciencias para Am茅rica Latina y el Caribe de la UNESCO, con sede en Montevideo.

- Sala de Lectura Ciencia y Universidad
10
18

Richard Roberts, Nobel de Medicina en 1993: 鈥淓n el futuro, en lugar de antibi贸ticos puede que tomemos bacterias鈥

Eva Rodr铆guez Nieto. Agencia SINC. El bi贸logo molecular brit谩nico Richard Roberts ha criticado duramente a las compa帽铆as farmac茅uticas que buscan ingresos con medicamentos para enfermedades cr贸nicas en vez de perseguir su cura. 脡l estudia las bacterias por sus prometedores avances para la salud humana.

- Sala de Lectura Ciencia y Universidad
10
16

Las brechas de g茅nero en la producci贸n cient铆fica Iberoamericana

Papeles del Observatorio n潞 9. Observatorio Iberoamericano de la Ciencia, la Tecnolog铆a y la Sociedad de la Organizaci贸n de Estados Iberoamericanos (OCTS-OEI).
Mario Albornoz, Rodolfo Barrere, Lautaro Matas, Laura Osorio y Juan Sokil
El Observatorio Iberoamericano de la Ciencia, la Tecnolog铆a y la Sociedad (OCTS) publica la m谩s reciente edici贸n de sus Papeles. En esta oportunidad se analizan las brechas de g茅nero en la educaci贸n superior, la producci贸n cient铆fica y las redes de colaboraci贸n de Iberoam茅rica, entre otros.

- Sala de Lectura Ciencia y Universidad
Ciencia y universidad en la OEI
Diculgación y cultura científica
Revista CTS

 

Subir

 

Principal OEI