Educación Superior

Pela primeira vez, a OEI reunirá a comunidade universitária ibero-americana em Madri para criar uma agenda de trabalho comum

Educação . 28/11/2018
Tamaño del texto + -

Na próxima terça-feira, 4 de dezembro, algumas das principais autoridades em educação superior de vários países ibero-americanos se reunirão em Madri, convocadas pela OEI.

O ato público, a ser realizado no dia 4 entre 18h e 20.30h, no auditório da Universidade Complutense (C/ San Bernardo, 49, Madrid) vai contar com a presença, entre outros, do secretário-geral da OEI, Mariano Jabonero; do ministro da Educação e Ensino Superior de Andorra, Eric Jover; do secretário-geral de Universidades do Ministério da Ciência, Inovação e Universidades do Governo da Espanha, José Manuel Pingarrón; e do presidente do Conselho Diretivo da OEI e ex-secretário de Educação Pública do México, Otto Granados.

O objetivo é discutir os desafios que o ensino superior ibero-americano enfrenta como resultado da quarta revolução industrial, bem como criar uma agenda de trabalho comum que envolva questões como a convergência dos sistemas universitários da Ibero-América para eliminar os obstáculos à mobilidade de estudantes e graduados. Além disso, a OEI apresentará o seu Programa de Educação Superior para 2019-2020, que seus 23 países-membros aprovaram no último 27 de setembro, na reunião do Conselho Diretivo em La Antigua, na Guatemala.

A entrada é gratuita. A confirmação da participação é feita por meio deste link.

O evento também poderá ser acompanhado, via streaming, no site da UCM  e nas redes sociais da OEI (@EspacioOEI).

Antes do início da ação, pela manhã, a OEI realizará uma reunião de trabalho com mais de 30 participantes de toda a Ibero-América, que representam universidades e associações universitárias da região, agências de qualidade e estudantes. É a primeira vez que todas estas organizações, que são as verdadeiras protagonistas dos sistemas universitários da região, se encontram para tratar de um plano e um cronograma de trabalho que permita avançar na criação do Espaço Ibero-Americano do Conhecimento (EIC).

A Ibero-América já conta com cerca de 30 milhões de estudantes universitários, muitos dos quais são os primeiros de suas famílias a ingressar na universidade. A educação superior é atualmente uma política pública prioritária para os países da região e, por esta razão, os ministros da Educação ibero-americanos solicitaram à OEI que ela seja também uma área de trabalho prioritária desta organização. O programa aprovado pelo  Conselho Diretivo da OEI no último mês de setembro inclui medidas destinadas a tornar os sistemas universitários da região mais compatíveis e comparáveis entre si, o que realmente permitirá a mobilidade de estudantes e de alunos formados.

Por outro lado, a nova formulação do programa Paulo Freire plus  vincula as mobilidades regionais à pesquisa, mediante o financiamento de bolsas de estudo pré-doutorais para estudantes que queiram cursar programas de doutorado em uma universidade ibero-americana de um país diferente do de sua origem. O objetivo é que o Espaço Ibero-Americano do Conhecimento (EIC) não seja apenas um espaço em que o conhecimento seja transmitido e compartilhado, mas também onde novos conhecimentos sejam gerados. Este é um fator essencial em uma sociedade e em uma economia do conhecimento como a atual, que está baseada na inovação.